Me visitam

julho 16, 2010

Brasília



A primeira coisa que quis saber quando surgiu o convite para esta viagem foi que tipo de coisa teria pra ver e fazer, logo me veio a ideia de que em um dia já estaria entediada e ainda teríamos uns seis dias pela frente, na verdade nunca a desejei  de verdade e confesso que ela não estava no meu roteiro, mas digo com convicção que o que sempre existe nas cidades independentes de todos os seus pontos turísticos é seu povo, as pessoas devem ser visitadas sempre.
Fiquei bastante tempo sem postar nada, porque do nada na semana passada resolvi embarcar  com minha faculdade para Brasília, aqui estou eu agora, em um alojamento com mais de quinhentos estudantes de direito que mais parecem adolescentes em um acampamento,afora isso tudo está correndo maravilhosamente bem, estamos em um grupo grande, dividido em oito pessoas que na verdade eram amigos de minha irmã,  não os conhecia muito bem até agora, não sei o quanto isso vai revelar de cada um, mas quanto a mim descobri que relações humanas são mesmo complicadas.
Sai da minha redoma, ainda não tinha percebido como o Brasil é distinto em todos os aspectos, como as pessoas são diferentes, nem tinha me dado conta de tudo que se pode aprender ouvindo o que tem a dizer  cada pessoas, aqui as  pessoas te ajudam, dão informação e se dedicam sem querer qualquer coisa em troca. Ok, meio utópico isso, mas as pessoas foram muito solicitas nessa cidade. As pessoas correm como em todas as outras de grandes cidades, contudo,  desconfiam pouco de você, nesta cidade projetada para ser bonita,  que me fez eleger um ídolo, também me fez crer nas pessoas e repensar quem eu sou .
Não viveria aqui, não gosto do clima seco e quente, gosto da minha terra e cada vez que saio tenho mais certeza de que nasci no lugar ideal, apesar de saber que não virei em qualquer lugar um céu como este, não poderia viver sem ter um oceano no horizonte, minha gente é simples e boa também, minha gente me comove as vezes, mas o que mais me emocionou em Brasília além de JK e Niemeyer foi sem dúvida esse povo corajoso que um dia se aventurou no sonho de um presidente megalomaníaco e fez seu sonho realidade também.





"Você não gozará perfeitamente o universo enquanto o próprio mar não correr em suas veias, enquanto não se sentir vestido com o céu e coroado com as estrelas, e não viver como se fosse o único herdeiro de todo o mundo e, mais do que isso, não comungar com os homens que são de fato os únicos herdeiros do mundo, como você. Não gozará a existência plenamente até que acorde todas as manhãs, e olhe para a terra e o ar como alegrias celestiais, tendo por tudo amor tão reverente como se estivesse entre os anjos."







2 comentários:

Poeta del Cielo disse...

A nossa terra sempre fala mas forte na nossa alma.. y o chamado e m,uito granmde.....

lindo texto lindo blog

te felicito
abracos
otimo fin de semana

Leo disse...

eu senti falta das tuas postagens amiga querida, espero que aproveite bem a viagem, se cuida por aí.

Beijãaao.