Me visitam

julho 07, 2010


Estava para abrir o gás ou me atirar da janela do quinto andar, nada disso resolveria qualquer coisa, tem coisas que não se justificam, por exemplo o medo, tenho surtos de medo as vezes, hoje caminhando no centro, começo da noite quando o lixo é colocado para o lado de fora, e as lojas já estão fechando, percebi que nada é maior que a visão de solidão que a cidade toma nesse horário, tive medo de minha própria solidão.
Tem dias que não acordo de bem com o mundo e hoje não acordei de bem comigo, fiquei pensando na imagem que eu passo para as pessoas e acho que não gosto nada do que elas podem ver em mim, fiquei este tempo todo tentando achar culpados pela minha inadequação e na verdade sou eu que estou sempre de expectadora de todas as coisas, eu não tenho gostado do que venho me tornando e não quero mais seguir por esse caminho, preciso de perspectiva de desafio e a vida anda tão chata.



"Uma inquietação sem objetvo no presente, um sacrifício contínou e e estéril no futuro -eis o que lhe restava no mundo. Grande coisa que dentro de oito anos só teria trinta e dois anos e poderia ainda recomeçar a vida! Viver para quê? A que almejar? A que dedicar seus esforços? Viver apenas por viver? Mas inumeras vezes estivera disposto a dedicar toda a existência a uma idéia, a uma esperança, até a uma fantasia. A mera existência não tinha muita importância para ele: sempre quisera mais. Talvez só a força de seus desejos lhe tivesse feito acreditar, outrora, que era um homem a quem é permitido mais que aos outros"

2 comentários:

Poeta del Cielo disse...

muito profundo seus escritos con uma claridade da vida mesma..... pois sao nossos desejos os que nos dam a posivilidade de realizar aquelo que uno imagina....

te felicito...

beijo
abracos

Leo disse...

Lindo texto, gosto dessa profundidade. Reamente, tem coisas que não se justificam, eu já acordei assim também.

Adorei te conhecer mais um pouco pelo desafio das imagens ali.

Beijos e doces...