Me visitam

janeiro 20, 2015

As cartas de suicídio costumam ser diretas, dizem muito da raiva do outro direcionada ao ego, procuro meu outro, incansavelmente tento distribuir culpa aos outros, não encontro ninguém, machuco a mim mesma, com a sensação de essa é a única forma de matar a dor.
Eu sinto que fracassei, fracassei em desejar, fracassei em conquistar, as palavras grandiloquentes que tento usar nesse texto só demonstram a tentativa mais uma vez fracassada de reproduzir o  vazio e solidão em que me encontro, Entretanto, mesmo diante da certeza da impossibilidade de representar o que sinto acho importante um explicação, por mais histérico que pareça esse ato, ele é sem dúvida o grand finale necessário e as vezes salvador de uma vida sem sentido.
Será mesmo necessário encontrar explicação para todas as coisas?
Será mesmo necessário entender que as pessoas não tem na a ver com sua dor?
É possível viver depois de ter se esgotado todas as tentativas?
Quem roubou minhas ilusões?
Não tenho fé, não tenho amor, não posso salvar ninguém, trabalho numa linha de produção que não atinge uma alma sequer, não tenho mais certeza da minha humanidade.

Um comentário:

Doney Stinguel disse...

Devagar com o andor, minha cara.